Você está aqui: Página Inicial / N / Reforma previdenciária é discutida na CMU

Reforma previdenciária é discutida na CMU

A proposta altera regras em relação à idade mínima e ao tempo de contribuição para se aposentar, à acumulação de aposentadorias e pensões, à forma de cálculo dos benefícios, dentre outras.

Os vereadores da Câmara Municipal de Ubá aprovaram em unanimidade e assinaram, na reunião ordinária de segunda-feira (27), a representação nº 28/2017, de autoria do vereador José Roberto Filgueiras, que versa sobre a PEC 287/2016, referente à Reforma da Previdência no Brasil. A proposta altera regras em relação à idade mínima e ao tempo de contribuição para se aposentar, à acumulação de aposentadorias e pensões, à forma de cálculo dos benefícios, dentre outras.

O autor da representação pede que sejam enviadas correspondências à Câmara dos Deputados Federais e Senado Federal solicitando aos parlamentares que votem contrariamente à matéria: “Há uma insatisfação crescente da população brasileira, uma vez que a reforma proposta promove a perda dos direitos dos trabalhadores. Um dos pontos polêmicos da matéria é o fim de aposentadoria antecipada das mulheres. Ora, a grande maioria das mulheres de nosso país tem jornada dupla de trabalho e condições de empregos das mais adversas. Quase sempre ganham menos que os homens e, além disso, enfrentam maiores dificuldades para se manterem no trabalho, com prejuízos para a frequência e o valor das contribuições para o regime”, explicou José Roberto.

Na representação, o vereador destaca ainda que o Governo estabeleceu, em sua proposta, uma idade mínima de 65 anos para que o trabalhador possa se aposentar: “A idade enunciada é elevada, equivalente aos mesmos padrões de países com maior população de idosos e com melhores condições de vida, evidentemente diferente da situação brasileira. Acreditamos que a nova fórmula para aposentadoria prejudicará aqueles que desejam receber o beneficio integral. Além de reduzi-lo, obriga o trabalhador a permanecer mais tempo na ativa. Com idade mínima de 65 anos e tempo mínimo de contribuição de 25 anos, um trabalhador que começou a contribuir aos 16 anos de idade terá que ficar na ativa por 49 anos para receber uma aposentadoria integral”, ressaltou.

Entre as demais mudanças propostas na PEC 287 está a definição de pensões por morte: “O valor pago à viúva ou ao viúvo passará a ser de 50% do valor do benefício recebido pelo contribuinte falecido, com um adicional de 10% para cada dependente do casal. As pensões também não serão mais vinculadas ao salário mínimo, ou seja, haverá grandes prejuízos à subsistência daqueles que não podem mais trabalhar”, concluiu José Roberto.

RODA DE CONVERSA

No último sábado (26), o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE) de Ubá organizou uma roda de conversa, no plenário da Câmara, para discutir a reforma da previdência social (PEC 287/2017). A palestra ficou a cargo do Técnico do Seguro Social do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS - Agência de Ubá), Moisés da Silva, e contou com a participação dos vereadores, José Roberto Filgueiras e Edeir Pacheco da Costa, do diretor da Superintendência Regional de Ensino de Ubá, Samuel Gazolla Lima, e demais convidados.

registrado em:
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados

Acesso à Informação

Portal da Transparência



Tv Legislativa


Jornal O Legislativo


Álbum de Fotos da Câmara Municipal de Ubá


Centro de Atenção ao Cidadão


Escola do Legislativo


Projetos Institucionais


CPI Crise Hidrica1.jpg

Documentos Antigos

Sos Desaparecidos

LexML

Mídias Sociais

Facebook Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal. Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.