Você está aqui: Página Inicial / N / Dia Municipal da Consciência Racial é celebrado com solenidade na CMU

Dia Municipal da Consciência Racial é celebrado com solenidade na CMU

Uma noite solene-cultural marcada por música, capoeira, mostra de arte, apresentações, homenagens e muita reflexão. Assim foi celebrado o Dia Municipal da Consciência Racial, em solenidade ocorrida na sexta-feira (23), promovida pela Câmara Municipal de Ubá (CMU) e a Associação de Combate à Discriminação Racial Solano Trindade (AST), no plenário do Legislativo. A homenagem reforça o reconhecimento ao desempenho nas áreas em que essas pessoas atuam e pelo compromisso da igualdade racial e protagonismo nas ações de valorização da população negra 

Entre os convidados, autoridades e representantes de entidades culturais, educativas e de classe. A sessão foi presidida pela presidente da CMU, vereadora Rosângela Maria Alfenas de Andrade, e contou com a presença dos vereadores Edeir Pacheco da Costa, Antero Gomes de Aguiar, Gilson Fazolla Filgueiras, José Roberto Reis Filgueiras e Luís Carlos Teixeira Ribeiro.

Prestigiaram o evento o coordenador Geral da AST, José Felício de Oliveira, o prefeito de Ubá, Edson Teixeira Filho, a administradora do Fórum Desembargador Câncio Prazeres, Marli Estevan de Lana, representando o Poder Judiciário, o comandante do Colégio Tiradentes da Polícia Militar de Minas Gerais, capitão PM Ivan Arrighi de Oliveira, representando o comando do 21º Batalhão de Polícia Militar, O diretor da Superintendência Regional de Ensino de Ubá, Samuel Gazolla Lima, e a diretora do campus Ubá da Universidade do Estado de Minas Gerais, professora Kelly da Silva.

A solenidade deste ano prestou homenagens a três personalidades de destaque no cenário cultural de nossa cidade: 

 

ü Aureliano Rocha Manoel (Mestre Nanim) – Mestre de Academia de Capoeira Garra Mineira; Coordenador do Projeto Viva Mais de educação, cultura e esporte junto a crianças, jovens e adultos dos bairros diversos ubaense.

ü Francisco da Silva (Mestre Chiquinho) – Mestre de Capoeira, Introdutor da Abadá Capoeira em Ubá e Região; Coordenador do Projeto Ginga na Comunidade, junto crianças, jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social;

ü Maria Luiza Marcelino – Presidente da Associação Quilombola Namastê;

ü Padre Sebastião Jorge Corrêa - Ex-pároco da Paróquia do Divino Espírito Santo – Apoiador do Movimento Negro e demais movimentos sociais e sindicais de Ubá;

ü Tarcísio Ribeiro (Mestre Tarcísio) - Mestre do Grupo de Capoeira Senzala de Ubá; Mentor e coordenador do Projeto Crescer do SD (São Domingos).

A presidente da CMU, vereadora Rosângela Maria Alfenas de Andrade falou em nome do Poder Legislativo Ubaense. “Estamos honrados em realizar esta solenidade, levando-nos a refletir sobre o racismo e a certeza de que, para o seu fim, não basta mudar a política ou a economia. Para eliminar o racismo de uma sociedade, é preciso mudar sua cultura na difusão de outros valores e atitudes. Atitudes estas que a Associação Cultural de Combate à Discriminação Racial Solano Trindade tem trabalhado em busca da conscientização da igualdade racial”, destacou.

No salão de entrada da Câmara estava exposta a mostra de arte dos alunos da Oficina de Pintura da AST. E para abrilhantar ainda mais o evento o hino do município de Ubá foi cantado pelos alunos da oficina de música da Escola Municipal Dr. Tânus Feres de Andrade, regido pelo maestro Wantuil Alexandre e acompanhado ao teclado pela musicista Tatiane Andrade e o flautista Alexandro Canedo.  A música Aquarela do Brasil de autoria do Ary Barroso foi executada por Wantuil e Tatiane.

O Dia Municipal da Consciência Racial, comemorado também em nível nacional no dia 20 de novembro, dia da morte de Zumbi dos Palmares, reforça a busca por ampliação de políticas afirmativas, igualdade de oportunidades e respeito pelo passado e presente do povo negro. Reconhecimento, empoderamento, negros e negras qualificados, igualdade de oportunidades.

O integrante da AST, José Flávio Expedito saudou aos presentes em nome da entidade lembrando a importância da data para a comunidade negra.

A LEI 
O dia Municipal da Consciência Racial originou-se do Projeto de Lei nº 37, de 1997, de autoria do vereador à época Dr. Fernando Antônio Fagundes Reis, juntamente com o vereador Paulo César Raymundo, sancionado pelo então Prefeito Narciso Paulo Michelli, que o transformou na Lei Municipal nº 2.736, de 2 de julho daquele ano. O intuito da lei é deixar registrada, como data cívica em nosso Município, o dia dedicado ao herói Zumbi dos Palmares e, assim, ressaltar a importância da difusão dos movimentos sociais populares, em especial os vinculados aos trabalhos da conscientização racial.

PALESTRA

O tema “Combate ao racismo para a construção da igualdade racial” foi ministrado em palestra por Denise Antônia de Paulo.  Natural de Belo Horizonte, Denise é militante do Movimento Negro, do Movimento de Mulheres Negras e da CONEN (Coordenação Nacional das Entidades Negras), foi gerente de Projetos de Ações Afirmativas da Secretaria Especial de Políticas e Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República; gerente de Políticas Sociais e Coordenadora da Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura de Belo Horizonte. Além destes, exerceu ainda o cargo de Gerente Hospitalar e diretora de Gestão de Pessoas da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais/FHEMIG.

Após a palestra a presidente da CMU, vereadora Rosângela Maria Alfenas de Andrade, entregou uma placa para a Denise em reconhecimento à sua especial participação. Em seguida, alunos da Oficina de Violão da Associação Cultura de Combate à Discriminação Racial Solano Trindade, orientados pelo Professor Moacir Dias, apresentaram a música “Estudo Canção”, de Luciana Requião.

PREMIAÇÃO CONCURSO DE REDAÇÃO

No contexto da celebração do Dia Municipal da Consciência Racial, a Superintendência Regional de Ensino de Ubá, em parceria com a Associação Cultural de Combate à Discriminação Racial Solano Trindade, realizou o seu 4º Concurso de Redação, que tem a finalidade de estimular a escrita e aguçar o senso crítico dos alunos em relação ao tema “Os desafios da juventude Negra, nos dias atuais”, dando a dimensão da importância ao debate sobre o combate ao preconceito e a discriminação racial em sala de aula e na sociedade. O concurso foi realizado no período de 1º de outubro a 1º de novembro deste ano, entre estudantes matriculados nas escolas estaduais de Ensino Fundamental de 6º ao 9º ano, e Ensino Médio Regular do município de Ubá. O concurso teve os seguintes representantes: Jefferson de Arruda Médice (1º lugar) aluno do 9º Ano do Ensino Fundamental da Escola Estadual Raul Soares e Diogo Vinícius de Meira Ferreira Oliveira aluno do 9º ano do Ensino Fundamental no Colégio Tiradentes. O estudante Jefferson de Arruda Médice leu a sua redação intitulada: “Racismo Contemporâneo”.

ENCERRAMENTO

Ao som de instrumentos de percussão e de berimbaus, um grupo animado jogava capoeira em frente à CMU. E a Bateria das Escolas de Samba São Domingos, Vila Casal e Unidos da Praça Ceus se apresentaram no encerramento da solenidade.

 

 

 

registrado em:
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados

Acesso à Informação

Portal da Transparência



PlanoDiretor2.png

Tv Legislativa


Jornal O Legislativo


Álbum de Fotos da Câmara Municipal de Ubá


Centro de Atenção ao Cidadão


Escola do Legislativo


Projetos Institucionais


CPI Crise Hidrica1.jpg

Documentos Antigos

Sos Desaparecidos

LexML

Mídias Sociais

Facebook Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal. Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.