Legislativo promove Semana do Líder Comunitário

A Câmara Municipal de Ubá (CMU) e a Federação Municipal das Associações Comunitárias dos Bairros e Distritos de Ubá (Femac) realizaram entre os dias 30 de julho e 2 de agosto, a Semana do Líder Comunitário. Os eventos cumprem o disposto na Lei Municipal nº 2844/98, regulamentada pela Resolução nº 01/99, ao determinar que as associações e demais entidades ligadas à população sejam convocadas pelos Poderes Públicos para organizar e divulgar debates e outros eventos alusivos ao Dia do líder Comunitário.

Assim, foi promovido no plenário da CMU um ciclo de palestras com temas pertinentes às práticas das lideranças comunitárias. O presidente do Legislativo, vereador Jorge Custodio Gervasio, fez a abertura da Semana do Líder em 30 de julho, seguido pela apresentação do professor e assessor parlamentar da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Rodrigo Marzano Antunes Miranda, que ministrou o curso “Liderança”.

“Um bom líder é aquele que representa seus liderados. Os líderes tem grandes ferramentas e elementos, trabalhamos nesta palestra a ideia do planejamento das ações. O líder não é aquele que dá conta de tudo, mas é aquele que organiza de fato as demandas da sua comunidade e as reivindica no lugar certo, representando a todos, buscando atender a expectativa das pessoas. Todas as pessoas tem atribuições e qualidades, um bom líder sabe identificar nas pessoas quais são as suas melhores qualidades e colocá-las a serviço da coletividade”, contou Rodrigo.

No dia 31 de julho, o mobilizador do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Éverton Pinto Gonçalves, proferiu a palestra intitulada: “Educação para o campo”, direcionada para a qualificação do produtor rural. “É importante a população conhecer as ações que o Senar desenvolve no município de Ubá. Pouca gente sabe que o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural possui mais de 300 cursos, treinamentos, assistência técnica, programas direcionados para a saúde do homem e da mulher no campo, prevenção de acidentes, trabalhos focados em equipamentos tecnológicos, entre outros. O homem do campo não precisa vir até a cidade para se qualificar, o Senar vai até a sua propriedade com instrutores qualificados. Para pleitear os cursos e assistências a comunidade pode nos procurar, na sede do Sindicato dos Produtores Rurais de Ubá”, relatou.

Segundo Éverton, o Senar é vinculado a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG) que tem como entidade líder a Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). “Em Ubá a atuação é por meio de um termo de cooperação com o Sindicato dos Produtores Rurais de Ubá, com duas linhas de ações, a de formação profissional rural e a de promoção pessoal, qualificando os produtores rurais da cidade e da região. E agora, com a oportunidade de assistência técnica gerencial gratuita”, explicou.

Ainda no dia 31, foi realizada a palestra: “O papel da liderança nas práticas restaurativas do ambiente – justiça restaurativa”, que ficou a cargo do professor de Filosofia e servidor da Superintendência Regional de Ensino de Ubá, Edmar Pereira Lopes.

Também ministrada pelo professor Edmar, e encerrando as explanações, no dia 1º de agosto o tema foi “Vivência para a mediação de conflitos – Agentes de cultura de paz: papel do líder comunitário”.

“Um bom líder comunitário precisa primeiro saber ouvir. As práticas restaurativas do ambiente propõem a pacificação, a resolução e a mediação de conflitos, buscando uma convivência mais solidária, mais fraterna. Tudo isso se dá inicialmente no saber ouvir; estar num círculo, que nós chamamos de círculos restaurativos ou processos circulares, onde cada membro da comunidade, da igreja, do bairro, da escola, poderá contar a sua história de vida, ser compreendido, ser valorizado, e para isto a liderança comunitária é muito importante”, afirmou Edmar.

Ainda conforme Edmar, na palestra foram trabalhadas várias práticas de justiça restaurativa. “Nós vivemos uma justiça retributiva que é a justiça comum. Exemplo: a cada crime uma pena, a cada dano outra punição. Isso tudo é importante, mas a justiça restaurativa que é hoje adotada por muitos juristas e comarcas do país, é reconhecida legalmente pelo Conselho Nacional de Justiça. Esta, mais do que punir ou penalizar, quer permitir que o infrator possa trabalhar pela reparação dos danos que causou à sociedade ou à vítima e quer permitir também que ela seja cuidada em seu sofrimento, apoiada, saia do seu lugar de vítima e reassuma a sua dignidade pessoal”, concluiu.   

Para o presidente da CMU, vereador Jorge Custodio Gervasio, mais do que dar cumprimento à legislação municipal, a capacitação das lideranças é imprescindível àqueles que precisam estar preparados para as mais adversas e delicadas situações em suas comunidades. “Líderes treinados conseguem entender e solucionar conflitos, aliando conhecimento, dinamismo, experiência e boa vontade. Também aprimoram seus comportamentos e habilidades para contribuírem ainda mais com o desenvolvimento local”, ressaltou o presidente.

Dezenas de pessoas acompanharam os eventos, que culminaram na solenidade de entrega dos Diplomas de Líder Comunitário a dezenove cidadãos que se destacam em suas respectivas comunidades, indicados pelos presidentes das associações de bairros e pelos próprios moradores.

 

registrado em:
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados